Vice Campeã Sul Americana de Longboard 2014

Vice Campeã Sul Americana de Longboard 2014

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Tubarão no Pico de Matinhos....



Paz e Boa semana a todos....
Nossa, final se semana com poucas ondas e muita emoção hehe
O que em alguns lugares não chega ser surpresa, aqui em Matinhos foi a sensação do final de semana, e tenho certeza que vai ser por alguns dias...

No sábado recebemos uma visita ilustre aqui, um Tubarão , grande e cinza, a quem diga que eram dois, e outros até que três. Dai a história já se aumenta. O Fato é que Um realmente foi pego, e era grande.

Levantei sábado, e vi uma valinha boa abrindo rápido no pico, comecei a me trocar, chegou O Lu, avisei a ele que estava indo e surfar...

- Lu, tem uma valinha to indo dar uma queda.....

- (Ele me disse), Tem, tem uma vala, e um tubarão.... hahah

Não levei a serio, e comecei a rir... Dai ele me contou, que desde manha bem cedo os pescadores estavam tentando encontrar... Mas como outras vezes já foi dito a mesma história e era apenas pequeno cação machucado pelas redes, fui surfar...

Chegando lá, tinha uns 1o na água, só entre eles a Jessiquinha, e o Neto, maior comédia... Era o assunto na água.... Cada um contando a sua história, a Jessiquinha disse que ficou uma meia hora na pedra, pensando se entrava ou não no mar... haha

Surfei uma hora e meia mais ou menos, não vi nada, e nem mais os pescadores na função, achei que era mais uma vez " História" de pescador....

Fui Para casa tomei banho, assim que sai do Banho a Tata me disse Branca, meu o Tubarão voltou, olha os pescadores rodando ali na beira... hahah E eu mesmo assim,firme fiquei pensando, só acredito vendo.... Fui para a Crepe, por onde passava era o comentário da Cidade, todos falando do Visitante, e a história sendo aumentada a cada quadra..

Quando foi a tarde comecei ver a galera indo, correndo para praia, tinham pego ele mesmo... Fui junto com uma grande curiosa, chegando lá, maior comédia, o Tubarão ia para uma lado, corria uma multidão, para o mesmo lado, em cima da calçada... Ele sumia, dai aperçia do Outro lado, ia todo mundo para o outro lado... haha

Como tava trabalhando, não pude ficar ali na brincadeira... Fui para crepe.
Meia hora depois, chega o Netinho dizendo que pegaram realmente ele, que era enorme, Tubarão de cabeça Chata de 3 mts, não sei se essa é mesma a espécie, nem o tamanho certo, mas pela filmagem era realmente muito grande e de cor cinza escuro... Assim que souber, faço uma errata aqui na postagem.

Vou colocar algumas fotos que apareceram, uma do Edson Filicker (surfja.com.br), e da Ba e do Padaki, e um Video que o Jhesus editou....

E para fechar a matéria, vou colocar na Integra, como estava no Boletim das ondas as condições de sábado, para o Pico...

www.surfja.com.br

Boletim das ondas
Condições: A ondulação está chegando com pouco tamanho e força, mas apresentando certa condição de surf nas praias de Matinhos.A maré ainda está baixa e as marolas demoram um pouco, mas em algumas até dá pra surfar.Deve melhorar com a maré enchendo mais.
No Pico as ondas estão pequenas, tem condição de surf com algumas abrindo no inside, mas bem fracas.O problema é que a galera teve que sair da água por causa de um tubarão de 1 metro e meio que está rodando bem no inside do Pico desde cedo.Estão tentando pegá-lo, mas ainda está lá.ATENÇÃO !!

MAIS INFORMAÇÕES http://www.surfja.blogspot.com/





Depois deste boletim explosivo, você caia na água??? haha

O Fato é que, uma novidade desta aqui no Pico, apesar da gravidade, trouxe um pouco de alegria para o pessoal daqui, e váriassssssssssssss historias, que nasceram desta já se espalham por ae... Já já o Tubarão virá até uma baleia.... haha



A todos uma semana iluminada na presença de Jesus Cristo....

Bjus

10 comentários:

letitacamargo disse...

Pois é Thi, eu aqui tão longe to sempre falando de Matinhos pra todo mundo, dos seus morros, sua prais, suas ondas, seus surfistas, das cachoeiras. Falo também da sua realidade social e de todos os conflitos ambientais que existem, na verdade este é o exemplo que eu mais cito por aqui.
Matinhos possui uma beleza e riqueza que poucos lugares possuem, trata-se de características únicas, pessoas incríveis, paisagem inesquecível. Quando falo "rico" me refiro também as oportunidades de desenvolvimento socio-econômico local, o solo desta região é de qualidade suficiente para o cultivo e produção agrícola, os rios que vem da serra abastecem a cidade com a mais pura água e o mar continua a ofertar tantos frutos. Além disso Matinhos possui um potencial turístico imenso que pode atender diversos nichos. A cidade oferece tranquilidade e ar puro, ondas para quem quer surfar, agito para quem quer festar, também possui perfil balneário e principalmente um grande potencial eco-turístico. Não se pode deixar de citar a presença de uma Universidade Federal centenária que além de abrir novas possibilidades de mercado também promove uma atmosfera de cooperação e envolvimento com auxílio técnico, fator extremamente benéfico.

letitacamargo disse...

É difícil para um matinhense fazer essa leitura, enxergar a verdadeira riqueza da sua cidade e todas as oportunidades que ela oferece. Esse fenômeno acontece com a maioria das populações que já foram 'engolidas' por uma cultura em que se almeja 'a vida da cidade grande', o que é completamente incompatível com a realidade local. É este eterno conceito equivocado e atrasado de que o desenvolvimento significa crescimento econômico a qualquer custo, de qualquer jeito de maneira imediata, nunca planejada, controlada ou avaliada.
Matinhos é sim um exemplo que cito aqui na Europa quando falamos sobre comunidades que possuem todo o potencial necessário para garantir seu próprio desenvolvimento, falo de um desenvolvimento real e que condiz com seu território.

letitacamargo disse...

Para mim desenvolvimento real é QUALIDADE DE VIDA, crescimento social, algo que se alcança através do cuidado com o seu próprio espaço, conhecimento da sua própria gente, paisagem e recursos. Explorar as riquezas que o território oferece é uma maneira de sobrevivência, porém desfrutar disso sem nenhuma responsabilidade é extermínio.
O assassinato deste tubarão hoje no Pico de Matinhos representa a carência deste conhecimento. É possível aproveitar ao máximo tudo que este lugar maravilhoso dispõem, porém não da maneira que sempre foi feito e continua sendo.
Provavelmente quando Edson Fylyk postou no seu blog que "depois de quase 34 anos surfando aqui no Paraná, tive a oportunidade de presenciar um fato que a gente julgava impossível em nossas praias" ele não avaliou o quanto essa frase definine bem o ocorrido de diversas formas.
Primeiro ao afirmar a improbabilidade do evento enfatiza que isso realmente não foi normal. O fato do animal estar no Pico indica encontrou uma provável dificuldade na busca por alimento que o levou a aparecer em um local incomum, mais perto da costa. Esta aparição deveria ter sido entendida como um sinal do impacto da exploração descontrolada que acontece em Matinhos, neste caso a pesca que somada a poluição afeta diretamente estas criaturas. Penso também que o Edson não avaliou o quanto seu relato exprime bem o valor desta aparição, a raridade. Ao menos o evento de hoje poderia ter sido compreendido como uma oportunidade única, uma grande sorte de poder ver e presenciar um momento como aquele.
Infelizmente não são todos os matinhenses que compartilham da minha opinião, menos ainda os administradores desta cidade. Isso não é novidade já que sabemos que a cada temporada os problemas se agravam, a cada chuva as enchentes são a mesmas, a cada morte a conformidade é a mesma. Mas a vontade real de melhoria tem que vir primeiro do entendimento do valor de cada elemento presente neste território, saber administrá-lo mais ainda. É somente a partir deste ponto que se pode trabalhar por uma cidade melhor, com qualidade de vida, e pelo desenvolvimento local.
Ainda, para finalizar, quero comentar que a repercurssão do que aconteceu hoje também representa o quanto as pessoas aceitam tudo em Matinhos e se limitam a coompreender estes processos somente num primeiro plano. Pensar que a carne do tubarão realmente vai ajudar na vida destes pescadores ou que alguém ia ser comido por ele é se manter nesta limitação e mais uma vez aceitar e não enchergar o todo não evoluir. Eu vejo futuro nessa cidade porque conheço o valor que ela tem, sei que muitas coisas vão mal mas não se pode calar e simplismente aceitar, é preciso evoluir! Não concordo, tenho dito.

Ni disse...

Faço das minhas as palavras da Letícia.

Este ocorrido me abalou tanto, que faltaram-me palavras para mostrar a minha indignação perante a toda essa covardia e falta de informação.

E ainda pior, tantar entender aonde se encontravam os dicentes e docentes da Universidade? Será que a informaçao não chegou lá a tempo? talvez, e espero que sim...

A cada dia me convenço mais da importância que uma Universidade tem como disseminadora de informaçao, e de que isso tem faltado, e muito...

=(

Débora disse...

Olá a todos
Primeiramente quero parabenizar a Letícia pelo seu comentário que define tão bem a problemática ambiental e social que enfrentamos.
Em segundo, fico muito triste em ver que fatos como o ocorrido sejam comemorado com bravura, pela morte de mais uma vítima da degradação ambiental que cometemos. Por atitudes como essa, fica mais fácil entender porque as pessoas se matam quando alguma situação não as agrada, só por que não gostamos de alguém ou temos medo ou mesmo dificuldade para conviver, agimos como seres primitivos, executando apenas, é mais fácil do que tentar melhorar e entender o ambiente ou as condiçoes sociais. Quando pensamos e falamos que queremos um mundo melhor, mais justo, mais humano e com qualidade de vida precisamos pensar globalmente mas agir localmente. Apenas mudando nossas atitudes conseguiremos melhorar aos poucos, a situação catastrófica que vemos todos os dias acontecer. Não adianda nos lamentarmos, quando as enchentes acontecem, quando os peixes começam a sumir, quando não temos onde morar e muito menos o que comer, quando contribuimos imensamente para que essas coisas aconteçam. Estamos colhendo apenas a degradação que plantamos.
E, para finalizar, vejo este assassinato assistido e provavelmente aplaudido como um ato cruel e vergonhoso.

Thiara Mandelli Longboard Classic disse...

Bom Le, justamente por não saber realmente qual a atitude certa que deveria ter sido tomada, que eu sugeri a vc que expressasse aqui no blog a sua opinião... E como já tinha dito , realmente oque vc deu foi uma aula.. Falando realmente e francamente as " nossas riquezas", que ficam escondidas atrás de tanta negligência e falta de infraestrutura e informação. Aqui na cidade cada um tem uma opinião. Um tanto quanto dividida. Metade acha certo terem capturado, e outra metade ficou horrorizada. O fato é que, na verdade ninguém até agora, deu um parecer do que realmente era certo ter feito em um caso deste. Ai fica a pergunta !!!! Afinal com a resposta poderíamos começar a caminhar pelo caminho certo, e o mais importante, fazendo a coisa certa, para não se repetir o erro.
Grande abraço !!!!

Chester disse...

Realmente muito infeliz este acontecimento. Concordo com as palavras da Letícia e da Débora, mas não esperava outra reação da população local. Pelo Brasil e pelo mundo vemos milhares de exemplos como esse. O receio de uma criatura que foi explorada pela mídia e transformada em uma espécie de monstro faz outra vítima.
Isto trata-se de mais uma situação em que o ser humano tenta inutilmente provar que é mais poderoso que a natureza.
Ironicamente, a tão forte e infalível Economia continua a levar tombos cada vez que o planeta mostra o descontentamento com as ações humanas. Basta uma erupção vulcânica para parar um continente inteiro por seis dias, e causar prejuízos de bilhões de dólares, isso levando em conta somente aqueles contabilizados pelas companhias aéreas.

Rodrigo Ribeiro disse...

Meu Deus..um tubarão...tomara que num seja igual abelha que se mata uma e vem um monte atrás....um bom resto de semana...

joce disse...

é por isso que o mar está avançando sobre as cidades,não é o tubarão que estava no lugar dos ''pescadores ou surfistas'' e sim o contrário,vamos preservar o planeta,deixar pra quem entende resolver, por isso tem guarda ambiental...e dá-lê o povão que está detruindo o planeta!!!!!!!!!!!!!!

Frejat disse...

Aos colegas (des)humanos que aprovam essa iniciativa heróica e sanguinária, faço minha proposição, uma vez que alegam que o fato se deu na intenção de proteger vidas humanas:

Que tal nos transferirmos para o mar e propormos aos tubarões que habitem a terra?

Quem sabe toda a vez em que, por alguma razão, nos aproximássemos da costa, teríamos predadores irracionais tentando nos capturar a todo custo!
Talvez seria uma iniciativa interessante para pararmos e refletirmos um pouquinho só sobre as nossas atitudes, os nossos valores (ou a falta), a nossa arrogância e ignorância.

Quanto vale uma vida? Por questão de segurança, você sugere que uma vida deva ser abatida para evitar a exposição de uma nova vida ao perigo?
Quanta contradição!

A mensagem que quero deixar é a seguinte: a maldade e doentia característica desta sociedade moderna somente existe porque é cultivada e incentivada, muitas vezes na inocência, por pessoas repletas de pureza, paz e amor!
O que carece nesta sociedade é um pouco de sensibilidade, e acima de tudo, informação.
Pra quem é da área sabe que tratar de Meio Ambiente não é tarefa fácil, ao contrário: a complexidade e a gama de fatores envolvidos é enorme, a responsabilidade desses profissionais é imensa.

Vale a pena pensar, e principalmente: buscar informação.
A Educação é o caminho mais concreto para a realização pessoal, profissional e essencial ao desenvolvimento de qualquer país.

Lamentável fato. Mais uma marca extremamente negativa para se gravar na história de Matinhos. Aos pescadores responsáveis pelo ato heróico, espero que guardem as ilustres recordações para apresentarem aos seus filhos e netos futuramente: se eles ainda o julgarem heróis, certamente a educação foi falha em algum ponto. Caso contrário, esperem por uma lição de vida da mais sincera valia e inocência. Não há de se envergonharem, mas sim comemorarem, pois contribuíram com uma geração mais humanitária e consciente!

Lamento.